Ao invés de Janelas, Espelho.

Sem reflexão, o aprendizado fica comprometido.


Melhorar resultados, fazer a empresa crescer, buscar a produtividade máxima etc. Esses são alguns desafios empresariais e que acabam se tornando pauta na agenda de quem empreende. O problema é que o crescimento sustentável exige evolução. Quando o empreendedor não evolui, seu modelo mental e seus hábitos acabam segurando, emperrando e limitando o potencial do negócio.


E para que toda empresa possa crescer, o líder precisa crescer primeiro.


Porém, mesmo sabendo disso, falta no dia a dia de muito de nós algo muito importante para que essa evolução aconteça.

Muita gente diz que aprendemos com os erros. Outros acreditam que aprendemos muito mais acertando do que errando. Isso porque, quando erramos, aprendemos o que não fazer e, quando acertamos, aprendemos o que fazer.


O que você acha disso?


Bom, na minha visão, nós não aprendemos nem errando nem acertando. O aprendizado que nos leva à evolução tão necessária para o crescimento dos negócios só acontece de forma profunda quando, ao errarmos ou acertarmos, sejamos capazes de parar e refletir sobre a situação. Essa reflexão nos leva a entender o que aconteceu e qual a nossa responsabilidade nisso.


Há anos descobrimos essa prática aqui no Co.Working Mangabeiras e, desde então, tem feito parte da nossa rotina.


“A linguagem criou a palavra solidão para expressar a dor de estar sozinho e criou a palavra solitude para expressar a glória de estar sozinho.” Paul Tilich


Você pode praticar a solitude enquanto estiver na academia, no almoço, numa paradinha para o café, no trânsito indo e voltando para casa, após reuniões, eventos etc. Em momentos nos quais você considera importante extrair um aprendizado.


Mas, você também pode determinar momentos na rotina para praticar a sua solitude, para colocar as ideias no lugar, pensar, refletir, decidir e depois agir.


Para começar a praticar, faço aqui uma sugestão para você se inspirar. Veja:

  1. Determine um momento do dia, preferencialmente no final do dia;

  2. Escolha um lugar onde não haja interrupção nem distrações;

  3. Pense em momentos importantes do dia: O que aconteceu que você gostou e gostaria que se repetisse? O que aconteceu que você não gostou e gostaria que não mais acontecesse? O que não aconteceu, mas que você adoraria se tivesse acontecido neste dia? Você também pode fazer isso pensando na sua produtividade do dia ou nas metas. O dia foi produtivo? Alcançou suas metas do dia ou da semana?

  4. Anote;

  5. Por fim, faça a seguinte reflexão: O que deu certo, por que deu certo? Que comportamentos seus contribuíram? O que não deu certo, que comportamentos seus atrapalharam?

  6. Escreva o que você aprendeu que pode te ajudar a fazer o dia de amanhã ou a próxima semana melhor.

  7. Faça um plano de ação simples: O que você precisa fazer amanhã? O que você precisa evitar amanhã?


Repita isso todos os dias, com o passar do tempo você pega a prática. A cada dia ou semana, vá analisando se houve evolução.


(este texto foi inspirado no artigo do site Endeavor/Fred Alecrim)

Co.Working Mangabeiras - uma conexão com sua melhor versão.